top of page
  • Foto do escritorPedro Galvão

Weight Of Emptiness: 'Withered Paradogma' (2023)


Weight Of Emptiness é uma banda chilena de Progressive Death Metal surgida em 2015. O quinteto possui uma proposta musical bem peculiar, transitando entre os subgêneros Progressivo, Death e o Doom Metal. A formação que gravou o terceiro álbum de estúdio, ‘Withered Paradogma’, é composta por Mauricio Basso (bateria), Juan Acevedo (Guitarra), Alejandro Bravo (Guitarra), Alejandro Ruiz (Vocais) e Mario Urra (baixo).


‘Mütrümtum (The Calling)’ é a faixa de introdução do álbum. Com sons que remetem a sonoridade oriental, com flautas, instrumentos de corda, percussão e alguns efeitos. O início é bem atmosférico, desperta um ar de suspense, porém na parte final a composição evolui para uma “textura” melódica e agradável. ‘Defrosting’ inicia com o melhor cartão de visitas que o Death Metal nos possibilita: blast beats. A música, que ganhou um belo videoclipe (confira abaixo) em sua maioria carrega mais passagens agressivas com vocais rasgados, porém também guarda espaço para um refrão com vocal limpo e guitarras cleans. Outra faixa com proposta parecida é ‘Vital Ends’, desta vez com mais blast beats e vocais alterando entre o rasgado e o gutural. Após um belo solo de guitarra a faixa cai num trecho mais progressivo e muito pesado.

‘0440’ se destaca por bases de guitarras mais intrincadas e pelo excelente vocal gutural de Alejandro Ruiz. ‘Wolves‘ é uma ótima faixa mid-tempo! Melódica e pesada na medida certa, com instrumental mais simples, porém super bem arranjado e com vocais limpos predominando, inclusive no ótimo refrão. ‘Black State Council’ e ‘Beyond The Marinas’ são composições de Doom Metal sem precisar recorrer aos clichês, pois a banda possui uma identidade sonora própria. Aqui encontramos boas alternâncias entre vocais limpos e guturais, instrumental arrastado, passagens épicas e em alguns momentos riffs furiosos com a bateria acelerando o andamento.


‘Storm Within’ se destaca por sua base acústica e soturna, alternando melodias distorcidas e um refrão arranjos vocais interessantes. A introdução de ‘Oblivion Collector’ faz o ouvinte imaginar que se trata de uma balada acústica, porém ela se transforma numa música mais épica com instrumental técnico e pesado. ‘Solstice Haze’ volta a acelerar o ritmo de ‘Withered Paradogma’ e mais um ótimo trabalho de todo o conjunto: cordas, bateria e vocais. É impressionante como todos os instrumentos se destacam com equilíbrio durante a audição. ‘The Awakening’ é uma música bem criativa, com uma nuance mais progressiva em seus arranjos, se mantendo num mid-tempo e fazendo do uso de todos os elementos característicos da Weight Of Emptiness presentes neste álbum.

A produção de ‘Withered Paradogma’ é digna do mainstream do Heavy Metal mundial. Tudo soa perfeitamente bem. Todos os instrumentos estão audíveis, tarefa difícil para uma banda como o Weight Of Emptiness, que tem várias camadas de teclados, orquestrações, corais, além dos seus instrumentos base. O Heavy Metal Latinoamericano tem mais um ótimo representante que não deixa nada a desejar se comparada com bandas europeias e estadunidenses. Que o público brasileiro possa privilegiar mais a cena sul-americana, ela merece mais a nossa atenção.


Weight Of Emptiness - 'Withered Paradogma' (2023)


1. Mütrümtum (The Calling) [01:38]

2. Defrosting [05:12]

3. 0440 [05:33]

4. Wolves [04:54]

5. Vital Ends [04:24]

6. Beyond the Marinas [06:13]

7. Black State Council [05:19]

8. Storm Within [05:05]

9. Oblivion Collector [04:58]

10. Solstice Haze [04:19]

11. The Awakening [06:40]

Tempo total: 54:15


Comments


bottom of page