top of page
  • Writer's pictureRenan Soares

Violator: banda causa um verdadeiro "pandemônio" em show no Recife


Depois de uma árdua semana de trabalho, nada como um bom show de metal na sexta-feira a noite para extravasar toda a energia ruim do dia a dia, ainda mais sendo a atração principal da noite o Violator, a veterana banda brasiliense de Thrash Metal, que carrega nas costas 20 anos de estrada, três EPs, e dois álbuns no currículo.


A cidade da vez para receber tal evento foi a capital pernambucana Recife, nesse último dia 14 de abril, sendo o palco mais uma vez o do Estelita, localizado no bairro do Cabanga, zona sul do Recife, esse que tem sido uma das principais casas de shows de metal no município. As bandas recifenses Hellrastru e Rabujos ficaram responsáveis pela abertura do evento.


Por ser na sexta-feira, o início do evento foi marcado para um horário bastante tardio, tendo a abertura dos portões sido realizada às 22h, e nessa questão, tudo ocorreu nos conformes. Todos conseguiram adentrar no Estelita antes dos shows de iniciarem, e a alta movimentação já indicava que teríamos ali uma noite de casa cheia.


A Hellrastru, uma das revelações da atual cena pernambucana, foi a primeira banda a se apresentar, tendo subido ao palco por volta de 23:10. Apesar do Estelita já estar com bastante gente naquele momento, poucos ficaram na pista acompanhando o show de abertura, tendo a maioria ficado na parte externa bebendo e aguardando a atração principal da noite.


Foto: Assis Roque


Para os que não conhecem, a Hellrastru é uma banda formada em meados de 2019, e atualmente é composta pelo trio Tiago Xaves (vocal e guitarra), Davis Peste (bateria) e Luiz Eduardo (baixo), e com fortes influências do Gojira, com o seu som mostrando uma junção do Death Metal, com Stoner e Progressivo.


Foto: Assis Roque


Com um setlist “curto e grosso”, a banda apresentou ali todas as suas músicas autorais lançadas até o momento, sendo elas as quatro presentes no EP de 2020 “Blood Eagle”, o single “Fear By Blindness” e a inédita “Greed”.


Foto: Assis Roque


A apresentação transcorreu muito bem em seu todo, apesar de por pouco a banda não conseguir completar seu setlist por conta de um problema no amplificador de Tiago durante a faixa “Greed”. Apesar do problema, foi durante o ocorrido que pudermos perceber a potência do baixo de Luiz Eduardo, que tinha tanto peso na sua sonoridade que conseguiu cobrir a falta da guitarra naquele momento.


Foto: Assis Roque

Foto: Assis Roque


E quando pareceu que o show da Hellrastru se encerraria precocemente, o problema do amplificador foi sanado, e Tiago anunciou que a banda conseguiria tocar a sua última música, sendo ela a “Bird Eyes”.


SETLIST

01 Godless 02 Mass Ilusion 03 Fear By Blindness 04 My Assassins Fury 05 Greed 06 Bird Eyes

Não demorou muito para que os Rabujos, banda veterena da cena Grindcore recifense, subisse ao palco do Estelita, com uma formação pouco usual, contando com vocal, guitarra, bateria, e sem baixista.


Foto: Assis Roque


Nesse momento a pista do Estelita se mostrou um pouco mais cheia, e também mais agitada, principalmente porque o som do Rabujos pedia por uma roda punk bastante intensa.


Foto: Assis Roque


Em seu repertório, o Rabujos viajou entre as principais canções dos seus quase 30 anos de carreira, com muita “podreira” e brutalidade, contando com participações especiais dos vocalistas Felipe, da Trôço, Edinho, da Arquivo Morto, e Ítalo, da Inferno.


Apesar de curta, a apresentação contou com 16 faixas em seu setlist, ainda mais levando em questão que cada uma delas tem uma duração bastante curta, de em média um minuto e meio cada.


Foto: Assis Roque


A única falha que ocorreu nesse show é a mesma que costuma acontecer na maioria dos shows de metal extremo, que é a equalização dos instrumentos, já que mal dava pra ouvir o que o vocalista cantava, já por conta do alto volume tudo ficou bastante abafado (isso mesmo tendo apenas dois instrumentos no palco).


SETLIST

01 Os Horrores que Eu Lhe Digo 02 Cadáver 03 Batismo a Gasolina 04 Opala 05 Meio Homem 06 Faca e Faca 07 Tanto Faz o Apocalipse 08 Beco 09 Marta 10 Exílio 11 Era dos Extremos 12 Sem Finais Felizes 13 Motivo Fútil 14 Castre-me 15 Gangrena 16 Foice

Com isso, faltava apenas a atração principal da noite, o Violator, e por conta disso, a galera já começou a encher a pista do Estelita já no intervalo entre a apresentação do Rabujos e do quarteto brasiliense.


Foto: Assis Roque


Por conta de atrasos na logística, apenas naquele momento o Violator pôde realizar a sua passagem de som, já diante da plateia que clamava pelo nome da banda, e nessa ocasião o frontman aproveitou para saudar o público recifense, que sempre é bastante caloroso com a banda em todas as oportunidades que os mesmos se apresentam por aqui.


E pouco antes dos primeiros acordes serem puxados, Poney fez questão de avisar: “O palco hoje é de vocês “.


Ou seja, quem quisesse ficar “de boas” durante o show, teria que arrumar um lugar pra se proteger, porque a partir dali, o pau ia cantar.


Foto: Assis Roque


O show se iniciou ao som de “Ordered to Thrash” diante de um Estelita lotado, e com uma roda punk completamente intensa. Mesmo a música tendo literalmente apenas uma palavra em sua letra, o público já mostrou dali que iria cantar as músicas a plenos pulmões, o que foi demonstrado ainda mais na faixa seguinte “Atomic Nightmare”.


O público levou o aviso “o palco é de vocês” ao pé da letra, tanto que ao longo de toda a apresentação, a galera subiu no palco para dar “stage diving”, altos “moshs”, e por várias vezes algum fã subiu para cantar no microfone dos músicos, tendo o equipamento caído diversas vezes, a ponto da produção precisar literalmente amarrar o microfone de Poney no pedestal.


Foto: Assis Roque


E como não poderia faltar em um show de Violator, houve os momentos de “foda-se Jair Messias Bolsonaro”, com Poney celebrando o fato de todos os presentes terem superado a pandemia, e também a derrota do ex-presidente da república (principalmente antes da faixa “False Messiah”).


Foto: Assis Roque


Se a interação entre banda e plateia já estava bem intensa, ela virou um “caos completo” na última faixa “UxFxT (United For Thrash)” quando Poney chamou o público para subir no palco, e claro, a “bagunça” foi generalizada, com todo mundo puxando o microfone para cantar, abraçando os músicos, e até mesmo tocando os instrumentos no lugar deles. E nesse clima e festa e confraternização, a passagem do Violator pelo Recife se encerrou, por volta de quase duas da manhã.


Foto: Assis Roque

Foto: Assis Roque


SETLIST

01 Ordered to Thrash 02 Atomic Nightmare 03 Respect Existence Or Expect 04 Resistance 05 False Messiah 06 Toxic Death 07 Futurephobia 08 Death Descends (Upon This World) 09 After Nuclear Devastation 10 Infernal Rise 11 Endless Tiranies 12 Destined to Die 13 UxFxT (United For Thrash)

No geral, a noite do dia 14 de abril de 2023 foi bastante satisfatória para todos os presentes no Estelita. Apesar do som não ter sido regulado da melhor forma nas duas últimas apresentações, o público correspondeu a altura não apenas na presença numerosa, como também na empolgação com as bandas que subiram ao palco.


E para encerrar, deixo aqui meus parabéns para o Estelita, que como sempre, tem trazido grandes shows para a sua pequena casa, deixando a chama do metal em Recife cada vez mais acesa.

_canalbloodymary_edited.jpg
bottom of page