top of page
  • Foto do escritorPedro Nogueira

Uma resenha por dia: #7 Sonata Arctica-Ecliptica



Depois da resenha que fiz do Helloween eu parei e pensei que eu não escuto muito metal melódico, seja algo mais sinfônico ou um pouco mais tradicional como power metal, nada, então eu decidi usar o quadro para ouvir algumas coisas com mais atenção e ver se é algo que eu possa desenvolver mais interesse. Sonata Arctica é um nome que eu conheço há muito tempo, e eu até ouvi algumas coisas que me chamaram um pouco atenção, mas nunca me aprofundei muito, nunca ouvi um álbum inteiro. Então decidi começar com o Ecliptica, o álbum de estreia da banda.

Blank File, ok, em termos de power metal, isso aqui é pesado pra ca*****, como eu disse é uma banda que fazia muito tempo que não ouvia e conhecia pouca coisa, admito que estou impressionado.

My Land já pega aquela ideia mais tradicional do power metal, mas ainda com um toque do que eu ouvi na faixa anterior, o que me fez pensar que o Sonata tenha uma pegada própria, preciso ouvir mais do álbum para garantir, algo que me chamou atenção é o fato da letra ser totalmente política.

8th Commadment o toque de speed metal, nunca falha, mas eu admito que todas faixas tiveram toque do speed, mas essa aqui teve algo mais puxado para aquele speed 80s em alguns riffs.

Replica é a típica baladinha que eu esperava ouvir um álbum de power metal, algumas eu gosto e outras não, quem viu a resenha do Helloween deve ter notado isso, essa aqui eu gostei, ela tem uma batida gostosa de ouvir, e eu gostei muito da letra dela, contando sobre um homem que foi pra guerra e por causa do que ele viveu lá ele voltou outra pessoa, mas não uma mudança positiva.

Kingdom From A Heart, bom eu gostei muito dessa música, mas ela não traz nada de diferente do que ouvi nas outras faixas, isso não é um problema mas não da muito material para resenha, exceto a letra que indica ter sido baseada no personagem Homem de Lata do conto “O Magico de Oz”.

Fullmoon, ouvir ela me trouxe flashbacks de quando estava no ensino médio, essa foi primeira faixa que ouvi, e admito que era estranho ter ela uma das poucas faixas power metal num cartão sd que era 90% thrash, black e death, mas é essa música foi até toque do meu celular ou despertador, não lembro direito. Enfim, depois de anos ouvir ela foi como ouvir pela primeira vez, e assim como na primeira vez, eu achei essa música incrível.

Letter To Dana, desculpa mas tenho que falar, “IH ALA O CARA É CORNO” , ta beleza, eu sei que essa aqui é uma baladinha, e tals, mas eu não consegui deixar de rir, desculpa fãs de Sonata Arctica, “ Meus olhos podem ter me traído mas eu tenho visto sua foto na capa de uma revista suja” (playboy ou algo do tipo). Ow véi, desculpa, eu ri disso, eu sei que era para ser triste e tals, mas parece muito o roteiro daquele filme besteirol “Miss Março-A Garota da Capa”. Eu já tinha lido em algumas páginas de power metal que Dana nunca existiu e foi só algo criado para a letra, mas nada concreto, se for isso, sei la, o cara poderia ter sido mais criativo. Perdi as estribeiras aqui, desculpa. Mas falando da música é uma baladinha que eu gostei, eu só acho que ela poderia ser um pouco mais curta.

UnOpenned volta para estilo mais acelerado que eles apresentaram no inicio do álbum, eu não tenho muito o que comentar sobre essa faixa, para ser sincero eu ainda tava pensando na anterior e dando risada.

Pictruing In The Past eu fiquei impressionado com a intro dessa música, não é nada diferente dos solos que e passagens rápidas das faixas anteriores, mas por algum motivo essa aqui me impressionou mais.

Destruction Preventer, a faixa mais longa do álbum e a de encerramento. Eu gostei que ela é bem variada, com momentos rápidos e pesados, e com momentos calmos, a letra é mais sobre uma possível guerra nuclear entre nações e como isso pode destruir toda vida na terra. UAU. A depois de alguns momentos de silencio é tocada uma pequena parte de Letter To Dana.

Bom, vou ser honesto, tenho que ser honesto, em geral eu gostei desse álbum, me deu uma perspectiva diferente sobre a banda, claro antes eu conhecia algumas faixas aqui e ali, eu nunca tinha escutado um álbum inteiro do Sonata Arctica. O único “problema” que eu tive, é que esse álbum não é muito diversificado, ok, é o primeiro álbum deles, comum todas as faixas seguirem uma única formula, para ouvir isso não é ruim, mas para fazer resenha complica um pouco.




Comments


bottom of page