top of page
  • Foto do escritorPedro Nogueira

Uma resenha por dia: #11 Winterusn-Wintersun



Bom depois de falar do black metal sinfônico na resenha do Cradel Of Filth, eu parei pra pensar “ e o death metal sinfônico”, e foi ai que lembrei de uma banda chamada Wintersun, mas eles não são apenas death metal sinfônico, não, é algo bem maior, um nome que eu nem consguei achar uma tradução que soe bem na verdade, melodic symphonic death metal, tentem falar isso em voz alta, eu achei exagero, poderia ser apenas melodic death metal, ou apenas symphonic death metal, mas não, eles são death metal, tem melodia e influencia do metal sinfônico, então é MELODIC SYMPHONIC DEATH METAL. É uma banda que conheci pouca coisa, então decidi resenhar álbum de estreia da banda. Detalhe muitos acham que a capa do álbum é baseada na morte do músico norueguês Valfar, que morreu congelado em uma nevasca em 2004

Beyond The Dark Sun, eu achei um bom começo para um álbum, uma faixa curta, técnica e melódica, ela tem seus momentos sinfônicos e de speed metal. A letra me chamou atenção pois ela traz um pouco daquela melancolia que os músicos de países escandinavos falam sobre morar em um lugar frio e que as vezes passam por ausência de luz.

Winter Madness é mais trabalhada, não é direta igual anterior, mas tem peso e os momentos sinfônicos aqui são mais visíveis que faixa anterior, tanto no instrumental quanto vocais de coro no refrão da música.

Sleeping Stars, começamos aqui com instrumental mais melancólico, mas é só o começo mesmo, ela não fica aquela coisa acelerada e pesada, mas não chegar ser alguma baladinha ou algo do tipo, eu tenho que confessar que estou demorando para entrar na vibe desse álbum.

Battle Against Time foi a faixa que eu entrei na vibe, sim demora um pouco para pegar a ideia de uma banda que você quase não ouve, mas o bom que quando você começa a gostar é vem a vontade de mergulhar de cabeça, esse foi motivo de ter feito essas resenhas, a faixa é longa, no inicio eu achei que fosse ser repetitiva, mas ela é maravilhosa. Estou ficando sem adjetivos, não é fácil resenhar 30 álbuns um atrás do outro.

Death And The Healing é bem tranquila, não chegar ser uma baladinha, mas ela não segue a pegada das outras faixas, dando uma brisa no meio de tanto peso que o álbum propõe, ela não tem vocal gutural e nem riff acelerado, apenas belas melodias e vocais limpo do começo ao fim.

Starchild é dividida em 5 partes. A primeira é Wanderer Of Times, até agora eu gostei do que ouvi, nada diferente das faixas anteriores, pesada, melódica e rápida. A segunda parte titulada Burnig Star é um pouco mais calma contendo apenas vocais limpos, isso é bom que ajuda a faixa passar mais rápido. The Creation é a terceira parte e volta para o peso e com os vocais mais pesados. The Seas of Stars começa logo em seguida sem uma ponde instrumental, ela segue mesma linha, mas vocais limpos. Finale é a igual a primeira. Eu achei um pouco desnecessário dividir a faixa 5 partes já que ela não contém tandas mudanças.

Beatufiul Death, quando eu comecei ouvir essa faixa eu estava querendo parar de ouvir álbum, não porque eu não gostei, eu gostei, mas as músicas são muito longas, e a maioria segue a mesma pegada, e passam por poucas mudanças, então fica cansativo e como eu disse antes em outras resenhas, fica difícil resenhar um álbum sólido. Nesse caso é tanto nas letras quanto no instrumental. Mas eu continuei ouvindo ela pois ela passa por momentos que soam como death metal mais puro e até mesmo do black metal.

Sadness And Hate para ser honesto, eu gostei dessa faixa, só isso que tenho a dizer, ela é boa, de verdade, mas não trouxe nada novo.

Wintersun é ótimo álbum, ele começa com todo gás, mas é um álbum sólido, é como AC/DC quando você escuta uma faixa você sabe mais ou menos como as próxima serão. Uma coisa que eu gostei é que alguns momentos ela tem uma pegada meio folk, como eu disse vocais de coro de fundo é algo que me fez lembrar algumas bandas desse gênero como Turisas e Borknagar. Isso me fez pensar, eu não escuto muita coisa de Folk e quando escuto são apenas algumas bandas e raramente escuto um álbum inteiro. Bom, é isso, parece que no mínimo as próximas 5 resenhas serão de Folk Metal.




댓글


bottom of page