top of page
  • Foto do escritorPedro Nogueira

Resenha: Cavalera-Bestial Devastation (2023)



Uma das maiores surpresas que tivemos no meio do metal extremo foi que os irmãos Cavalera iriam lançar verões regravadas do Bestial Devastation e Morbid Visions, além disso cada regravação contaria com uma faixa inédita. Diferente do que muitos especulam as regravações fazem parte da discografia do Cavalera Conspiracy e infelizmente não serão lançados no Brasil por conta de direitos detido pela Cogumelo Records.

“The Curse” está totalmente diferente com uma voz demoníaca lembrando mesma intro do Destruction na faixa “Total Destruction” e também está totalmente português. A faixa titulo está como versão original com apenas mínimas mudanças. “Antichrist” tem algumas mudanças no riff pós verso com guitarras dobradas soando como Possessed no “Seven Churches” e break down pré-solo teve algumas escalas adicionais. “Necromancer” continua a mesma, exceto pela virada de bateria pré-solo que está um pouco mais longo e soa mais ritmado. “Warriors Of Death” tem uma introdução um pouco diferente, mais longa e com sons de fundo como se estive ocorrendo uma guerra e o riff pós solo está totalmente diferente da versão original, mas uma mudança que trouxe melhoras. Sexta-Feira 13 está soando totalmente death/thrash metal old school, parece até uma música perdida da época do próprio Bestial Devastation e com muita influência de Celtic Frost, a letra é totalmente em português.

Agora a duvida e receio que os fãs estavam, a produção e mixagem, bom, obviamente não é a mesma de 38 anos atrás, pois as condições da época eram bem precárias, mas a atual não tira a atmosfera pesada das músicas e não soam como “Plastico” o que era maior preocupação dos fãs. Os vocais caíram feito uma luva e as faixas de bateria estão bem mais maduras e diversificadas, indo de Blast Beat até D-Beat.

Tracklist:

1-The Curse

2-Bestial Devastation

3-Antichrist

4-Necromancer

5-Warriors Of Death

6-Sexta-Feira 13



Comments


bottom of page