top of page
  • Foto do escritorPedro Nogueira

Opinião: Kerry King fez a escolha mais segura para novo projeto



Essa semana fomos pegos de surpresa que Kerry King irá voltar a ativa com novo projeto auto titulado, alguns fãs ficaram felizes com isso, outros nem tanto, alguns estão rebatendo dizendo que é desnecessário, basta apenas voltar com Slayer, alguns estão chamando projeto de Slayer 2.0. Mas existe uma série de fatores que fazem com que essa seja escolha mais sensata e isso começou em 2013.

2013 e primeiras preocupações do final do Slayer:

Em 2013 mesmo começaram a sair conversas entre os fãs do Slayer que a banda estaria chegando ao fim, primeiro foi a notícia de que Dave Lombardo deixou a banda novamente por não concordar como as coisas estavam indo no Slayer. Alguns fãs começaram a comentar “essa banda aos poucos está chegando ao fim” e coisas do tipo, mas alguns ainda estavam confiantes pois neste mesmo eles teriam shows em grandes festivais incluindo Rock In Rio, que rendeu uma turnê junto com as bandas Ghost e Iron Maiden. Porém uma outra noticia e dessa vez ainda mais triste abalou os fãs do quarteto norte-americano, a morte do guitarrista e cofundador do Slayer, Jeff Hanneman. Hanneman estava afastado do Slayer desde 2011 por conta de uma picada de uma aranha que o impediu de tocar guitarra por um tempo, mas que seria apenas temporário, Jeff se divorciou da esposa no começo de 2013, o que levou a um alto consumo de álcool, o que resultou em sua morte. Então, depois desse triste mês de Maio de 2013 parecia que fim do Slayer era algo inevitável.

Lançamento de um novo álbum:

Em 2014 houve sinal de uma luz no fim do túnel, o lançamento da faixa “Implode”, isso pegou os fãs de surpresa, pois não havia certeza se Slayer iria continuar ou não, nenhuma noticia de um álbum novo. O lançamento repentino de uma faixa inédita trouxe a esperança do lançamento de um álbum novo. Depois de alguns meses foi lançado a faixa “When Stillness Comes”. Logo em 2015 tivemos boatos do Slayer estar gravando um novo clipe e depois de alguns meses “Repentless” foi anunciado.

O álbum foi tão bem recebido que alcançou as paradas norte-americanas e europeias, acabou ganhando certificado de ouro na Polonia. Isso fez com que os fãs acreditassem que Slayer ainda tinha um longo período de vida.

Polemicas com Tom Araya:

De 2016 para frente Tom Araya começou a dar varias declarações que contradiziam as ideias dos outros membros do Slayer (apenas checar algumas letras escritas por King como “Americon”, “Eye Of The Insane” e entrevistas sobre o que ele pensa sobre política norte-americana). Isso fez com que alguns fãs acreditassem que Tom estivesse cansado da vida que ele tinha no Slayer, mas eram apenas especulações de alguns fãs.

A turnê de despedia:

NO começo de 2018 o Slayer anunciou turnê de despedida, o fim do Slayer era inevitável. Alguns fãs mais céticos ainda especularam “é golpe de marketing”. Em 2018 mesmo o baterista Paul Bostaph afirmou que a decisão de querer aposentar era de Tom Araya e isso era de anos. Isso trouxe especulações de que não seria realmente o fim, apenas o fim da formação clássica. Kerry King depois disse em uma entrevista durante a pandemia de que ele não quis o fim do Slayer, e que sentiu raiva da aposentadoria prematura da banda.

Kerry King e novo projeto:

Agora chegamos em 2023, e vamos aqui rebater algumas pessoas que estão achando desnecessário anuncio de um novo projeto que será apenas um “Slayer 2.0” ou algo do tipo. Se pararmos para analisar é a opção mais correta, Jeff Hanneman infelizmente não está mais entre nós, pelo menos não em manifestação como corpo físico, Tom Araya foi o único membro do Slayer que quis se aposentar, Paul e King ainda querem continuar tocando, fazendo música, Kerry mesmo disse que algumas músicas de seu novo projeto está pronta desde antes do fim do Slayer, talvez ele já estava pensando em um 13° álbum para sua banda. Então essa é a coisa mais sensata a se fazer, em respeito a seu falecido amigo e a seu companheiro de banda que está aposentado. O Slayer em si nunca irá voltar, a esposa de Tom confirmou que o vocalista não quer voltar a trás com a decisão de aposentadoria, vale lembrar também que na turnê de despida Araya foi o único que realmente ficou mais tempo nos palcos no final de cada show e que realmente disse adeus aos fãs, mas isso não significa que os membros remanescentes não possam continuar seus trabalhos partindo de onde pararam.

A decisão de King usar seu nome para o seu novo projeto é apenas uma escolha segura e uma forma de dizer “enquanto eu estiver vivo, enquanto eu aguentar, eu vou fazer shows e lançar álbuns. Independente de saída ou decisão de aposentadoria de outros membros do projeto."

Comments


bottom of page