• Pedro Nogueira

Obituary: banda entrega noite de pura adrenalina em São Paulo



Na noite do dia 24 de setembro a banda de Death Metal Obituary se apresentou em São Paulo na Fabrique Club. A ultima vez que o quinteto se apresentou no Brasil foi em 2017, e 5 anos depois eles retornaram para uma noite que não existe adjetivos suficiente para descrever, talvez nem mesmo essa resenha possa explicar o que é um show do Obituary.

Chaosfear foi a banda responsável pelo show de abertura e fez um ótimo trabalho. A cada música o quarteto nacional foi conquistando cada vez mais o publico que ansiosamente esperava o grupo norte-americano. Com apenas 30 minutos de show eles mostram do que são capazes e do que é feito o metal nacional. Sem contar a carisma do vocalista Fernando Boccomino, fazendo algumas brincadeiras com alguns fãs que gritavam “Obituary!”. Esse foi primeiro show do grupo pós pandemia, e é inegável que eles se saíram muito bem, tão bem que nem parecia ser primeiro show em 2 anos.

O Obituary entrou as 20h em ponto, sem atraso, e sem enrolação, logo ao entrarem no palco Trevor Perez soltou as primeiras notas do riff de “Redneck Stomp”, que já uma das certezas dessa vida, que o Obituary irá abrir show com a faixa instrumental que também abre o álbum “Frozen In Time”. Logo em seguida John Tardy entra no palco e a banda começa tocar a faixa “Setence Day” seguido por “A Lesson In Vengeance”, nesse momento o Fabrique foi tomado por um mosh pit totalmente insano, a casa foi abaixo, e nesse clima ficou até final, sem descanso e piedade o mosh aumentava e espremia cada vez mais as pessoas que ficaram na grade. Apesar de ser possível ouvir todos os instrumentos e o vocal, John Tardy ainda mostrava estar um pouco descontente com o volume do microfone e ficava sinalizando para mesa aumentar. Logo em seguida o show continuou com mais duas faixas recentes “Visions In My Head” que começa com riff groovado que instigou o publico a começar uma onda de pulos com gritos de “Hey Hey Hey” ao ritmo dos instrumentos, algo que realmente é raro de se ver em shows Death Metal, provando que o Obituary tem algo único e especial, logo após foi tocada “A Dying World”. Mas o ápice e momento que realmente instigou a brutalidade do publico e que todos esperavam foi quando Tardy se aproximou do microfone e gritou “Go...” deu uma pausa e continuou “Find The Arise”, nesse momento a partir deste momento o show que já trazia uma energia inacreditável ficou melhor do que já estava, é algo que não tem como descrever, a reação do publico foi de ter conseguido mais adrenalina do que já tinham. Seguido vieram mais enchorradas de clássicos, “Dying”, “Don’t Care”, “Threating The Skies” e até mesmo “By The Light” estavam presentes no setlist. Entre uma música ou outra John exalava carisma brincando com o público, agitando e mostrando o quão feliz ele estava com a recepção dos fãs brasileiros. Violência sonora uma atrás da outra, quando não poderia haver mais surpresas foi anunciado que voltariam tocar mais uma faixa do Cause of Death, então foi quando Donald deu a batida no tom da bateria, os fãs já sabiam o que estavam por fim, só estavam esperando os berros pronunciando as palavras “Chopped In Half”, e o que já estava bom, melhorou, pois, a faixa foi emendada com “Turned Inside Out”, “Deadly Intentions” deu continuidade ao espetáculo. A banda saiu do palco por alguns minutos, mas depois voltaram para o bis, “I’m In Pain” começou a ser tocada, mas o destaque da faixa foi o solo de bateria de Donald, bom, uma única música faltava para completar esse setlist e encerrar o show, sem surpresas o dedilhado de “Slowly We Rot” começou a ser tocado, uma pausa ocorreu e John só fez um único gesto, rodou os dedos sinalizando que ele queria o mosh mais intenso, então sem novela a musica foi continuada para que o espetáculo fosse finalizado.


Obituary entregou tudo nesse sábado, sem decepções, sem atrasos, um show energético, direto e com uma qualidade surpreendente. Ao vivo o quinteto soa até mesmo superior que no estúdio, tem dobro de adrenalina, é uma experiencia que nem mesmo uma resenha pode explicar com todos os detalhes, é algo que tem que ser vivido, então se você perdeu esse show e está lendo essa resenha, aqui vai meu conselho, na próxima vez que Obituary retornar, não hesite em comprar ingresso, apenas faça isso e aproveite um dos melhores shows de Death Metal que existe.


Setlist:

1-Redneck Stomp

2-Sentence Day

3-A Lesson In Vengeance

4-Visions In My Head

5-A Dying World

6-Find The Arise

7-Dying

8-Don’t Care

9-Threating The Skies

10-By The Light

11-Choped In Half

12-Turned Inside Out

13-Deadly Intentions

14-I’m In Pain

15-Slowly We Rot



aa43c293-5edd-4c6d-89ed-17bdf0b2ce2e.jpg