top of page
  • Foto do escritorMari Goé

Metal News #9: lançamentos do metal extremo ao rock nacional

O Metal News nesta nona edição apresenta 15 novas músicas/EPs de artistas nacionais e internacionais, e vocês irão conhecer bandas de metal da Nova Zelândia, EDM da Austrália, black metal norueguês, rock nacional, metal alternativo da Romênia e muito mais, confiram!


-Marie Eidolon - "Magic Girl"

Marie Eidolon é uma dupla eletrônica de Sydney, Austrália, e sua música varia entre o pop alternativo sombrio e o EDM sombrio e agressivo. Seu novo single "Doomsday" tem vocais e uma melodia hipnotizantes, sua batida consistente envolve o ouvinte em uma sonoridade nostálgica, experimental e ambiente, daquelas músicas que a gente ouve quando precisa dar um descanso para o coração e nos transportar para os lugares ainda complexos da nossa cabeça!



-Limbonic Art - "Ad Astra Et Abyssos"

O projeto norueguês de metal extremo Limbonic Art foi formado em 1993 pelo vocalista/guitarrista Daemon, e lançou seu ábum de estreia em 1996, intitulado "Moon in the Scorpio". O álbum seguinte, In Abhorrence Dementia, de 1997, foi apoiado por uma turnê de abertura para , e um ano depois a Limbonic Art lançou seu terceiro LP, Epitome of Illusions.


Um de seus singles mais recentes é "Ad Atra et Abyssos", um black metal frio e agonizante que remete as bandas pioneias do metal negro norueguês. O single reapresenta a banda ao mundo em grande estilo com uma sonoridade old school, mas muito longe de estar ultrapassada. Esta música reacende uma chama potente que dificilmente será apagada, e coloca a banda como destaque no cenário do metal extremo.


-Gorebringer - "Ants"

A Gorebringer é uma banda de blackened death metal melódico do Reino Unido formada em 2017, cujo novo álbum será lançado em outubro de 2024! Como antecipação do nosso álbum, o single "Ants" foi lançado, com uma sonoridade violenta e sem piedade com o ouvinte, os vocais são ferozes e bestiais, o instrumental é massivo e por vezes lembra o de bandas como Lorna Shore!

Extremamente técnico, as guitarras apresentam riffs empolgantes e desafiadores, enquanto os vocais se encarregam de espalhar o caos pelo mundo.



-Katharein - "Fried Your Brains"

Um dos novos nomes do metal alternativo é Katharein, banda da Romênia que também tem influências de heavy metal e hard rock em sua sonoridade. Com uma série de singles lançados, "Fried Your Brains" é rápida, enérgica e convidativa, seus vocais por vezes lembram um pouco do punk-rock dos anos 2000, enquanto seu instrumental faz uma ponte entre o metal clássico e influências mais modernas.



-Most Epic Dream - "Soldiers (ft. John Serrano)"

Most Epic Dream é um projeto de música pós-rock/indie/eletrônica da Austrália, atualmente baseado na Austrália. O compositor do Epic Dream, Damian, funde música eletrônica contemporânea com elementos de rock, pop e outros estilos. De olho nas tendências atuais e na capacidade de se inspirar em seu vasto kit de influências, Most Epic Dream está em constante evolução e criando composições únicas e originais que abrangem uma ampla gama de gêneros da música.

"Soldiers" é um de seus novos singles e contou com a colaboração do espanhol John Serrano nos vocais, numa música que realmente surpreende o ovuinte, é difícil comparar esta musica com a de qualquer outra banda conhecida, e isso é algo raro de se alcançar hoje em dia. As linhas de baixo desta música são muito bem marcadas, as guitarras são mais melódicas, e os vocais impressionam pela sua energia e timbre um pouco mais grunge.



-Lives Lost - "IED"

Vidas Perdidas; Esta é uma frase mais conhecida como eufemismo para o número de mortes em uma situação. Neste caso, esta frase representa a banda de rock emocional dos EUA, encaminhada em emoção, melodia e pensamento. Lives Lost lançou uma variedade de singles e um EP conceitual sobre a jornada de um personagem pelos estágios do luto inspirado na vida pessoal da banda. Com planos para um segundo EP e um álbum completo, um de deus novos single é "IED", música com breakdowns empolgantes, um instrumental mais voltado ao metalcore e um vocal moderno e feroz.



-Green & Granstrom - "Only Summer"

Green & Granstrom é uma colaboração entre o cantor Leyton Green e o compositor sueco Jimmy Granstrom. Em "Only Summer", Jimmy e Robert escreveram uma nova letra para a canção sueca de Lars Brundin "Alltid sommar (där hon går)" com música de Lars e Herbert Tinz. A versão original em sueco foi tocada na P4 Malmöhus, que é uma das maiores estações de rádio regionais da Suécia.

Nesta versão da clássica música, ela apresenta uma sonoridade moderna e empolgante, mais voltada ao pop rock e alternativo, que remete muito ás bandas mais clássicas do estilo dos anos 90.


-Anchorage - "Suffering" feat. Maelføy

Em colaboração com a banda alemã Maelføy o quarteto vienense Anchorage foca uma espécie de fenómeno paradoxal: Apesar do ato em que vivemos o mais conectado de todos os tempos... há um número crescente de pessoas que se sentem excluídas e sozinhas. Em conjunto com o lançamento deste terceiro single, o grupo austríaco de Hardcore-Punk-Metal anuncia o lançamento de seu próximo álbum de estreia para 21 de junho.


"Suffering" levou a banda para um nível mais alto. Eu simplesmente amei os dois vocais, a mistura melódica com os vocais guturais são simplesmente deslumbrantes. O instrumental moderno com algumas influências do nu metal old school também é muito bom, é impossível ouvir esta música e não começar a bater cabeça imediatamente.



-Johnny Nasty Boots - "Soho"

Johnny Nasty Boots, o artista de rock de Los Angeles, está preparado para agitar a cena musical com seu mais recente single, “Soho”, o primeiro single de seu novo e altamente aguardado EP.

"Soho'' marca um novo capítulo emocionante para Johnny, apresentando sua mistura característica de energia crua, riffs icônicos e texturas sonoras, sua evolução desde seu álbum de estreia de 2017 está em exibição clara.

As guitarras nesta música são simplesmente insanas, o timbre delas é demais, e é incrível como essa música consegue ter uma personalidade tão forte, ela é selvagem, enérgica, poderosa, sexy e rebelde! É impossível ouvir essa música e ficar parado!


-Backstrom - "Slippin' and Slidin' (feat. Miroshland)"

Backstrom é um compositor sueco dos gêneros Folk, Country e Rock que lançou o álbum de estreia “The Carousel” em janeiro de 2024.

"Slippin' and Slidin" é a música mais rock que o artista lançou até agora. Conta com Miroshland nos vocais, Hernan Ian nas guitarras e Francisco Paz na bateria.


É incrível como todas as músicas do Backstrom têm uma energia selvagem, com guitarras e vocais super emocionantes, e fazem o ouvinte querer levantar e tocar também! Essa música é mais hard rock que seus singles anteriores, e admiro muito a versatilidade de Backstrom em sempre lançar músicas cativantes e cada vez melhores!



-Tainted Ink - "PWYSTM"

Tainted Ink é um power trio de death/thrash metal de Utah/EUA, com influências como Megadeth e Death, que dá em suas múiscas um som semelhante, mas ainda assim próprio, adicionando mais melodias e elementos hardcore.


Sou obcecada por esse gênero, thrash e death metal são uma combinação insana, e nessa música pude sentir também um pouco de punk nos vocais, e isso é muito bom.

"PWYSTM" é uma música selvagem, pesada, rebelde e muito bem feita.



-Urzah - "Of Decay"

Os novatos do sludge metal pós/progressivo URZAH apresentam seu ardente álbum de estreia THE SCORCHING GAZE. Depois de apenas alguns anos gravando e tocando ativamente, Urzah incendiou a pesada cena underground de Bristol/Reino Unido e chamou a atenção da amada APF Records de Manchester.


O segundo single do álbum foi "Of Decay", uma música tão massiva que chega a ser quase hipnótica em algumas partes. Tanto o vocal quanto o instrumental são fortes e imponentes, uma música tão delicada quanto um soco na cara, e é assim que deve ser.



-Jammed - "No Me Ves"

Jammed é uma banda da Suíça, que conta com duas guitarras elétricas, um baixo e uma percussão. O seu repertório é inspirado em géneros musicais como rock, metal, punk, hip-hop e jazz - dos quais se inspiram ao mesmo tempo que acrescentam um forte colorido pessoal.

'No Me Ves' é o 4º e mais recente EP do projeto (2 músicas em inglês, 1 em espanhol).


O vocal dele me lembrou muito o Robb Flynn do Machine Head, e apresenta uma medida certa de sujeira, um vocal rasgado com qualidade, e o instrumental também é muito emocionante e muito bem executado.


-Just One Fix - "Thorns"

Just One Fix é uma banda de metal da Nova Zelândia,q ue incorpora em suas músicas alguns elementos raíz de suas origens. Das batidas tribais e do riff de abertura carregado de doom, “Thorns” é o single com reviravoltas mais sombrias da banda até agora. Este é o terceiro single do próximo EP ‘Submit or Death’, a ideia da música nasceu das páginas da trilogia Broken Empire de Mark Lawrence.

“Thorns” trata da realidade de que todos nós somos quebrados, distorcidos e moldados por nossas piores experiências e nos tornamos quem somos por causa delas ou talvez apesar delas. Como resultado, as pessoas tendem a se mascarar para quem elas acham que o mundo quer que elas sejam.


Gostei muito do groove desta música, me peguei batendo cabeça desde o início. "Thorns" tem um jeito rudimentar de envolver os eu público com sua música, e isso é muito legal. Os vocais são poderosos, as linhas de baixo são selvagens e as batidas emocionantes. Eu simplesmente não consigo comparar essa música com nada que já ouvi, e isso é raro.



-Bruma - "Tudo bem"

A banda baiana de rock Bruma apresentou ao mundo o seu mais novo álbum “Um Ano Pra Se Dar Adeus”, com cinco canções inéditas que abordarão o luto através de um olhar vulnerável, quente e subversivo. As canções, que nasceram fruto de uma experiência traumática real, refletem sobre a imensa dor de um filho ao se despedir de sua mãe de uma maneira avassaladora, ponderando também o entendimento de que, às vezes, quando estamos presos dentro de nós mesmos, a morte vem como uma companheira capaz de nos libertar.


Uma das principais faixas do álbum é "Tudo Bem", adorei os vocais, o timbre das guitarras e a batida da música, ela é realmente bem envolvente. Mesmo ouvindo uma só vez, o refrão pede pra que a gente cante junto com ele. Os vocais conseguiram ser rebeldes e melódicos ao mesmo tempo, isso é bem legal.



Comments


bottom of page