top of page
  • Foto do escritorMari Goé

Entrevista Unrealism: "Eu busco muito a criatividade, como se fosse buscar um caminho próprio"


-O projeto é bem recente, como e quando tudo começou? Qual era a ideia no início?

Amauri Soares (Guitarrista)- Inicialmente pensamos em algo virtual, um vídeo collab ou algo bem simples mesmo. Mas a nossa conversa evoluiu, e foi onde decidimos gravar em estúdio mesmo, então gravamos no nosso amigo e produtor Gabriel do Valle. O resultado ficou impressionante. A Alessandra gravou e editou nosso primeiro clipe “Drink With Me”, mas achávamos que só lançaríamos o clipe na internet e ok.


-Quando se trata da sonoridade da banda, percebemos que o som mescla várias vertentes do metal, quais são as principais influências de vocês?

Amauri- Eu busco muito a criatividade, como se fosse buscar um caminho próprio. No caso do Unrealism, buscamos algo mais " Dark" no sentido de riffs pesados e ambiência. Acho que as influências seriam uma mistura bem estranha. Algo como Paradise Lost, Soilwork, Insomnium e Tarja, realmente não dá pra definir exatamente.


-As letras são escritas pela vocalista Alessandra, e percebo muita intensidade em todas elas, quais temas estão sendo abordados nas letras? Tem alguma letra em específico que você possa comentar sobre?

Alessandra Lodoli (Vocalista): tenho focado em letras que questionam como temos levado a vida, sempre muito num mesmo formato, e muitas vezes quem sai desse formato é questionado ou julgado. Por exemplo a nossa single “Sacrifice”, nela eu falo sobre uma pessoa que está presa na vida cotidiana e que quer sair, pois o mundo é muito além da rotina entediante que muitos levam e se entristecem com isso, ao pensar sobre sair dessa rotina, ela é julgada por não querer pertencer aquilo.


-Hoje em dia, qual a maior dificuldade que vocês encontram como banda independente?

Amauri - Acho que é o que afeta a grande maioria. Recursos a disposição pra você investir somente na banda. Não é tão simples ter uma banda. Hoje em dia você tem que batalhar, lutar mesmo pra conseguir um espaço.


-Vocês estão finalizando a gravação do primeiro EP, como foi o processo? Onde e quando tudo começou?

Amauri- Eu tinha saído de um projeto, e tinha um EP agendado no estúdio. Qualquer pessoa normal cancelaria, né? Eu estava sozinho e pedi pra NÃO cancelar a data (Eu tinha acho q 3 meses pra resolver isso) pois gravaria esse EP. Então pensei em transformar o Unrealism em uma banda mesmo. Sim, isso mesmo que você leu. Um EP agendado, sem músicos e não quis desmarcar. Então conversei com a Alessandra de transformar o Unrealism (até então era virtual) em uma banda mesmo. O que mais me surpreendeu foi que a Alessandra topou. Isso começou a me fortalecer, chamei o André Napoleão para tocar baixo, o Claudemir Aquino ( batera Estúdio), e o tecladista Matheus (estúdio) e gravamos o EP.


-Qual a mensagem que vocês desejam passar com este EP?

Alessandra: Procuramos passar mensagem sobre buscar algo além, o pensar fora da caixa, independente de julgamentos, quebrar as correntes que os outro impõem a nós e ferem toda a nossa vontade e capacidade.


-O novo single de vocês é o “Sacrifice”, porque ela foi escolhida esta faixa para ser o single do EP? Qual o conceito da música?

Alessandra: Ela possui sons mais melodiosos, o que ajudou a preponderar vocais mais limpos, esses contrastes foram o que fizeram escolher ela como nosso primeiro lançamento do EP. Ela segue bem o conceito do EP como um todo, uma pessoa que quer despertar da vida tediosa que leva, e que julgam ela por isso, mas ela tem esperanças e quer lutar contra aqueles a travam de forma mental. Em questão instrumental também vem um trabalho de liberdade, não ficando preso em um único estilo.


-Quais os próximos planos da banda?

Amauri- Estamos planejando lançar as músicas do nosso EP (clipes). Vamos voltar a tocar novamente (nos apresentamos no Alternatal 2022 em Araraquara). Estamos com uma formação nova, entrou Péricles Zuannon como novo batera, e vamos construindo tudo de forma ordenada.


-E para finalizar a entrevista, gostaria de mandar um recado pra galera?

Alessandra: Gostaria de pedir para que venham conhecer nosso trabalho, a música está bem pesada e cheias de misturas, com vocais limpos e guturais. E é claro, pedir aquela força de nos seguir nas redes sociais!

Comentarios


bottom of page