• Mari Goé

Entrevista Oathbringer: "Tudo foi acontecendo aos poucos, de forma espontânea"

Prestes a lançar seu debut álbum "Tales Of Glory" pela gravadora americana/europeia RTR Records, a banda de heavy metal tradicional da Sérvia OATHBRINGER concedeu uma entrevista exclusiva para o Canal Bloody Mary!


Quem conversou com a gente foi o baixista e vocalista Milos "Priestkiller" Stosic, falando sobre a história da banda, influências nas composições, planos da banda e mais detalhes sobre o álbum "Tales Of Glory"!



-A banda está prestes a lançar seu primeiro álbum completo “Tales Of Glory”, conte-nos um pouco sobre o início da banda, sobre a trajetória do Oathbringer até agora!


A banda foi criada como um projeto do nosso guitarrista Lazar "Berserker" Zakic, e a ideia era se divertir e fazer algo novo. A certa altura percebemos que a ideia toda tinha potencial e que talvez devêssemos formar uma banda. Então Bora "Helldiver" Petrovic como baterista e Petar "Axxer" Djordjevic como guitarrista solo se juntaram à banda. A formação do Oathbringer foi um processo bastante longo, e não tenho certeza se conseguiria explicar todos os detalhes dessa forma, mas digamos que a banda foi formada no momento em que a chamamos de “Riddle of Steel”, porque já tínhamos um ideia completa que mais tarde realizamos no álbum “Tales of Glory”.


-Falando agora sobre “Tales Of Glory”, como foi sua produção? Quando começou e a pandemia afetou todo o processo?


Como mencionei, foi um processo bastante longo e, ao longo do caminho, tivemos algumas músicas demo onde tentamos definir nossa direção futura. Já toquei em muitas bandas de metal, mas não implementei minha paixão por fantasia épica e ficção em geral em nenhuma delas. Sugeri a Lazar que tentássemos fazer algo nesse sentido, e ele concordou. Não se trata apenas das letras, mas também de toda a abordagem da música, que era totalmente nova para mim e para o Lazar.

A pandemia nos ajudou de alguma forma, porque tínhamos muito tempo livre hahahaha.... Pelo menos alguma coisa boa sobre a pandemia...

Eu não sei exatamente quando começamos a trabalhar nas músicas do álbum. Acho que nem pensamos na época que lançaríamos um álbum e que se tornaria uma banda séria. Tudo foi acontecendo aos poucos, de forma espontânea, provavelmente por isso não consigo me lembrar de todos esses detalhes.



-A banda costumava se chamar Riddle of Steel, como foi tomar a decisão de mudar o nome da banda?


Nossa gravadora RTR Records nos informou que já existe uma banda com esse nome, e que deveríamos mudar o nome da banda. Não estávamos felizes com isso, mas sabíamos que era algo que tínhamos que fazer, então sugeri o nome Oathbringer e foi isso.


-Quais são os planos de Oathbringer para este ano? Algum passeio sendo planejado?


O plano é promover o álbum o melhor possível e o máximo que pudermos. Estamos planejando uma turnê regional no outono. Já temos alguns festivais agendados para este verão, e espero que haja mais assim que o álbum for lançado. Gravamos um vídeo para a música "Moria" e espero gravar um vídeo para outra música até o final do verão. Há muitos planos, e espero que possamos realizar a maioria deles.


-Quando se trata de influências, quais são suas principais influências quando vocês estão compondo?


As músicas do álbum são em sua maioria no estilo heavy/speed metal, mas existem outras influências como power metal ou doom tradicional, thrash metal... As bandas que mais me influenciaram são Manowar, Manilla Road, Blind Guardian, Omen, Cirith Ungol. .. Das bandas mais novas, escuto principalmente Grand Magus, Visigoth, Eternal Champion, Claymorean, Gatekeeper.... Ouço muita música, e são apenas bandas que têm algumas semelhanças conosco, mas tentamos fazer cada música principalmente Oathbringer, não uma cópia de algo que já existe.




-Se você pudesse definir o álbum “Tales Of Glory” com uma frase, qual seria?


Este é um álbum para todos os fãs de heavy metal tradicional, e especialmente para aqueles que amam letras relacionadas a espada e feitiçaria.


-E como você define a essência da banda?


Heavy Metal com bolas de aço.


-O álbum está seguindo algum tipo de conceito nas letras?


Não. Nem todas as letras são relacionadas exclusivamente ao gênero Epic Fantasy e Sword and Sorcery. Por exemplo, a música "Alone in the night" trata de depressão e outras doenças mentais, "Under the Spell" é inspirada em filmes de terror sobre exorcismo, etc., podemos fazer um álbum conceitual no futuro, mas isso é exatamente o que o título diz "Tales Of Glory".


- Este é o fim da entrevista! Você gostaria de enviar uma mensagem para os fãs?


Se você quer ouvir o som do aço endurecendo, ouça Oathbringer!

Salve a todos vocês maníacos do metal!

Milos “Priestkiller” Stosic


ACOMPANHEM O OATHBRINGER NAS REDES SOCIAIS:

https://linktr.ee/oathbringerofficial



aa43c293-5edd-4c6d-89ed-17bdf0b2ce2e.jpg