• Agência 1a1

CRAS: entrevista com uma das revelações do sludge brasileiro



CRAS é uma banda de sludge metal que também adiciona elementos de outros estilos, como o hardcore, na sua sonoridade. Formada em 2019 em São Paulo, atualmente o a banda conta com um integrante que vive em Santa Catarina. A distância não impede que o grupo produza material de muita qualidade, como podemos conferir no bate-papo que tivemos com a banda.


1- O CRAS é uma banda relativamente nova. Falem um pouco sobre como se deu a formação.


LUCAS: A banda teve início comigo e com o Cris, nós trabalhávamos juntos, e resolvemos nos reunir, o Cris era da cena HC e estava com vontade de voltar a tocar. Nos primeiros ensaios, tentamos alguns covers, mas não deu muito certo, então começamos a desenvolver algumas músicas próprias, nesses ensaios sairam Overloaded e Marks e uma primeira versão para Valleys of Concrete tudo isso como duo comigo no vocal e guitarra, e o Cris na bateria, na sequência o Hercules se juntou a banda e consideramos que a banda realmente teve um início a partir daí, o Hercules trouxe ideias novas, batizou a banda, trouxe uma estética interessante baseada nas letras que eu fiz. A Mari é minha prima, então um dia ela foi assistir um ensaio nosso e numa brincadeira ela deu uns berros junto comigo, no dia seguinte ela já estava na banda, foi bem natural, um olhou pro outro já sabíamos que ela precisava assumir o vocal principal.



2- Vocês realizaram o primeiro show somente nesse ano. Como foi finalmente subir aos palcos?


LUCAS: Foi incrível, nós estávamos muito nervosos, mas animados com essa oportunidade, ainda mais tocando com o Manger Cadavre? que é uma das nossas bandas favoritas, eu particularmente fiquei bem emocionado com isso. Nós mesmos estávamos curiosos pra ver como nos sairíamos ao vivo, algo que nós não tínhamos feito antes. O show em si foi ótimo, a Hocus é um lugar incrível,  o público interagiu muito com a gente, fomos muito bem recebidos, foi a melhor estreia que nós poderíamos ter, sem dúvida. Além de tocar, foi muito divertido, os shows do Berro Mote e do Manger foram sensacionais. A gente espera voltar lá em breve.



3- Vocês lançaram um single com participação da Mayara Puertas do Torture Squad. Como aconteceu essa parceria?


LUCAS: A música Beta é bem especial pra gente, primeiro porque foi a primeira música que compomos nós 4 em conjunto, eu tinha apenas 2 riffs soltos e em um ensaio a música saiu praticamente pronta. Em segundo por ser a primeira participação ativa da Mari na composição, a letra é 100% dela. 

A May deu aula para mim e para a Mari, então ela acompanhou a banda desde o comecinho quando era só uma ideia. Quando a Mari mostrou a ela a primeira versão de Beta, ela começou a dar umas ideias e lapidar melhor a linha vocal e a estrutura da música e acompanhar a gente enquanto a gente ensaiava, então como houve um trabalho de produção dela nesse som, foi a oportunidade perfeita para termos ela participando conosco no vocal também. O resultado ficou surreal, a gente ouviu a primeira vez e perguntamos "é a gente mesmo ?". A May conseguiu absorver toda a carga emocional que a Mari colocou na letra e entendeu onde queríamos chegar com a música





4- Vimos nas redes sociais de vocês que em breve haverá um lançamento com a participação da vocalista Hanna Paulino. O que podem adiantar desse trabalho?


Hércules: A Hanna é aquele tipo de pessoa especial, que você acaba de conhecer e parece que já está na sua vida a mil anos. Nos conhecemos em uma quinta e na terça já estávamos no estúdio gravando. Ela é uma força da natureza. Em menos de meia hora ela gravou uma música que nunca tinha visto na vida só com a guitarra guia. É mais uma mulher fantástica que a Mayara nos apresentou.


Sobre a música, ainda não podemos divulgar muitos detalhes. Mas será nossa primeira música gravada em português. Ela toca em um assunto muito delicado, fala sobre aborto espontâneo e como lidar com a ausência de um filho que nunca vai chegar. Exploramos um lado novo da banda, com instrumentos até inusitados para o nosso estilo, mas gostamos muito do resultado.



5- Qual teremos um full album?


Hércules: Já começamos a trabalhar nas músicas novas, que devem fazer parte do full. O Lucas já trouxe toda a parte conceitual do disco e já estamos compondo as músicas novas. Gostamos bastante do processo de composição e acredito que não deve demorar pro full ver a luz do dia.



6- Como é a cena sludge no Brasil? Quais bandas nacional do estilo vocês ouvem e curtem?


LUCAS: As bandas são excelentes! Com certeza temos bastante influência das bandas de Sludge aqui do Brasil, o Labirinto, por exemplo que mistura Sludge com o Post Metal é uma das maiores influências nossas. As que estamos ouvindo mais no momento são Labirinto, Litrão, Los Suffers, Jupiterian, Fossilization, o Reiketsu que é um pouco mais puxado pro Neo Crust, mas que tem elementos Sludge, e ultimamente a gente descobriu a Ode Insone e o Riffcoven 



7- Vocês tem lançado clipes muito bem feitos para os singles. Qual é a importância do áudio visual junto à estética do CRAS?


Hércules: o conceito visual é algo que gostamos muito e tratamos como uma extensão das músicas. Nós somos da geração Mtv, e a possibilidade de ter um registro visual de uma música nossa é algo bem único e que gostamos de tratar como fazemos com as músicas. Todos participam do processo de composição dos vídeos e é tudo feito no do it yourself. Pensamos em futuramente fazer experimentos com outras possibilidades visuais.



8- Quais são os planos futuros da banda?


LUCAS: iremos lançar nosso primeiro EP no segundo semestre, serão 6 músicas, incluindo Valleys, Beta e as versões de estudio de Marks e Overload (que até então só possuiam versões ao vivo). Estamos também já estudando ideias novas e compondo algumas coisas que farão parte de um segundo lançamento. Além disso, queremos tocar o máximo possível e recuperar o tempo que nós perdemos na pandemia.


9- Agradecemos a atenção. Deixem um recado final para os leitores!


Hércules: Só temos que agradecer por todo apoio que estão nos dando e por todo mundo que vem curtindo nosso som, colando nos shows, tem sido uma experiência muito f#%*

Se cuidem, votem 13 bonito e comam abacate pra fazer coco bonito. Ah e nos sigam nas redes sociais!



aa43c293-5edd-4c6d-89ed-17bdf0b2ce2e.jpg