top of page
  • Foto do escritorRenan Soares

Anti-Flag: após vocalista ser acusado de abuso sexual, banda deleta redes sociais e indica separação


Nessa última quarta-feira (19/07), os fãs da banda Punk americana Anti-Flag foram pegos de surpresa com um comunicado deixado pelo grupo em seu Patreon, deixando a entender que a banda com mais de 30 anos de atividade teria chegado ao seu fim sem maiores explicações aparentes.


O comunicado dizia:


"Anti-Flag acabou, o Patreon foi atualizado para um modo em que não será mais cobrado a taxa mensal. Começarei o processo de reembolso de todos os apoiadores nas próximas semanas, assim que todos os reembolsos foram feitos a página do Patreon será removida."


Além disso, o Anti-Flag deletou todas as redes sociais oficiais da banda, e também o seu website. Chris No. 2, baixista e vocalista do grupo, também deletou seu Instagram, mas seu Twitter segue ativo, mas sem nenhum pronunciamento oficial sobre o possível fim da banda.


Josh Massie, membro da equipe do Anti-Flag, realizou um comunicado nos stories do seu Instagram confirmando o fim da banda, mas informando não ter maiores informações a respeito.


De acordo com especulações feitas nas redes sociais, o possível fim da banda pode estar relacionado com acusações de abusos sexuais contra o guitarrista e vocalista Justin Sane, proferidos por uma mulher chamada Kristina Sarhadi durante um podcast chamado "Enough Podcast".


No podcast, Kristina alega ter se encontrado com o vocalista principal da banda (em nenhum momento ela cita o nome de Justin Sane) após a apresentação do Anti-Flag no Brooklyn, e que em um momento, após ela recusar suas investidas, ele teria a levado para o seu quarto de hotel, e tentado sufoca-la.


Até o momento, nenhum representante do Anti-Flag se pronunciou sobre as acusações.


No início de 2023, o Anti-Flag, conhecido por ser uma banda politicamente ativa, lançou o seu novo álbum intitulado "Lies They Tell Our Children".

Comments


bottom of page