• Mari Goé

Ananda: "Essa música conseguiu unir meus 4 anos de autoral em uma grande estreia"


Cinco anos se passaram desde que Ananda subiu ao palco pela primeira vez para cantar com uma banda, interpretando covers de Paramore e outros nomes do pop rock. Nascia ali, no palco de um pub, a cantora Ananda, que marcou a cena da região de São José do Rio Preto com sua voz e sua performance. Respirando novos ares em novos lugares, mais precisamente Araraquara, ela dá start em sua carreira solo com “Temporal”, single que chega às plataformas de streaming no dia 5 de setembro com direito a videoclipe.


Em uma entrevista exclusiva ao Canal Bloody Mary, Ananda contou mais detalhes sobre sua carreira solo, sobre o novo single "Temporal" e muito mais!

Foto por Leila Penteado

-Vamos começar falando do comecinho. De que forma você entrou para a música? Quando você percebeu que gostaria de ser cantora?

Todas as memórias que eu tenho são comigo cantando e querendo ser cantora. Começou na Sandy, acho que todas as meninas veneravam ela haha depois veio a Avril.. ai só ladeira abaixo rsrs só foi aumentando meu interesse e minha vontade de cantar. Com 8 anos eu comecei a fazer aulas de música. Até então canto eu nunca tive contato... fui ter só com 20! Essa é uma das coisas que me arrependo, não ter começado a estudar antes... mas qdo criança eu não sabia muito bem que precisava de aula.. eu achava que era só cantar (tolinha, né?) estudei música por uns 6 anos e ai dei uma parada, fui fazer outras coisas mas sempre sonhando e sempre cantando por ai. Com 19 comecei minha primeira banda e a partir dela cheguei até aqui.


-Você é uma artista completa! Além de cantar, você também dança, toca, atua, dubla, é modelo..De que forma cada uma dessas áreas te ajuda na carreira de cantora?

Eu sempre me interessei por arte. Todos os cursos que fazia, livros que lia, assuntos que falava, era relacionado ao meio artístico. Quando eu comecei a cantar na noite eu sentia falta de ser mais desenvolvida, de saber me posicionar no palco, nas câmeras, ser atriz nos meus clipes rs, em tudo. Não adianta só ter uma voz legal. Comecei a fazer aulas de teatro e ballet pra me desenvolver e me apaixonei pelo teatro, onde estou seguindo até hoje. O teatro me ajudou muito a desenvolver performance, os trabalhos como modelo a me posicionar bem pras câmeras, videoclipes etc. Eu sinto que saltei 10 anos em 1 depois que comecei a estudar.


-“Temporal” será o seu próximo single, como que rolou a produção dele? E o que esse single representa pra você?

Temporal é tudo pra mim no momento. Eu me vejo 100% nela. Cada detalhe desde a letra, melodia, harmonia, solos, tudo! É meu primeiro trabalho totalmente solo, é um debut de uma artista que já tem uma grande bagagem mas que foi toda com banda. Essa música representa muito o momento que eu tava vivendo lá em Rio Preto e ela foi o que me fez não pirar. Eu tenho essa brisa de escrever coisas que eu sinto pra tirar de mim, acho que acontece com muitos artistas né rs. Eu tenho um carinho especial não só por ser meu primeiro trampo solo, mas pq ela saiu melhor do que eu esperava. É aquela sensação de muita satisfação com um trabalho, coisa que eu nunca tive totalmente, sempre ficava alguma questãozinha... eu to apostando muito nela e nem é num lance de bombar ou ficar famosa, mas de olhar daqui uns anos e pensar em tudo que eu fiz e como ela foi importante. Eu tb escolhi a data do meu aniversario de 25 anos pra lançar ela, pra ser mais ainda conectada com essa nova fase. Dia 05/09 marca além do meu nascimento, o meu primeiro show com banda na vida e é loco pq por ser perto do feriado eu fiz shows, com exceção de 2020 por causa da pandemia, todos os anos desde 2017 no meu aniversário.

A produção foi até que rápida. Eu já tinha letra, melodia e harmonia e uma ideia do que eu gostaria que fosse. O rafa (guitarrista) me ajudou muito no processo com arranjos, o riff do refrão é dele e é sensacional. Quando eu contatei o bryan (produtor) a gente passava horas trocando ideias, músicas e tentando encontrar essa sonoridade pra mim. O time que eu escolhi pra gravar foi fundamental pra esse processo pq eles conseguiram trazer muito do que eu queria e das referencias que eu mandei. Teve o Renan na batera e o Banana no baixo. Eu mandei uma guia só com voz guita e bateria com o que eu tinha feito pros meninos e ai combinamos de entrar em estúdio. Foram dois dias. Na sexta a gente construiu Temporal como vcs vão conhecer e no sábado gravamos ao vivo. A partir dai foi o trabalho do Bryan em adicionar os sinths, que era uma coisa que eu queria muito.


-Você também trabalha muito na imagem/visual nas suas produções, desde figurinos, artes das capas. Conte um pouco mais do que está por trás dessas produções visuais.

Eu sempre achei que os looks que usamos dizem muito do que a gente tá querendo ‘vender’, e a capa de Temporal é doida, pq ela é totalmente o oposto do que vc esperaria ouvir. Quem vê aquela capa branca, com cores rosa, azul, amarelo, logo imaginaria algo mais suave, mais praia, mais vibe e Temporal não é isso rs. A capa tem muitos conceitos! O principal deles é a roupa que eu visto. Ela foi criada pela Leila penteado que foi quem fez a capa tb. Eu sempre curti essas cores, coisas simples, minimalistas, tanto que meu primeiro álbum é branco com essas cores tb. De imediato eu queria estar nua pra representar um ser puro, eu do jeito que sou, e só ‘vestindo um temporal’ que é minha vida. Chegamos no desenho depois de muitas ideias. A roupa que eu visto então seria o temporal que foi minha vida em todo esse tempo, essas histórias, e traz uma ligação com aquele primeiro trabalho autoral da vida. Foi mais daora ainda quando a Leila me falou que a foto escolhida foi a ultima da câmera, é uma foto que ela tirou sem eu estar posando hahaha achei que ela representou quem eu sou! Um fato interessante tb é que o tecido que foi usado pra fazer a roupa da capa foi um tecido que eu usei como cenografia do clipe “sem você” que foi lançado em fevereiro de 2021. Sustentabilidade e histórias. Tá vendo como essa musica é especial pra mim? Ela conseguiu unir meus 4 anos de autoral em uma grande estreia.


Capa por Leila Penteado

-Vamos falar sobre a forma com que as suas músicas nascem. O que te inspira na hora da composição?

É muito difícil eu escrever coisas que eu não tenha vivido. Eu ate consigo “fantasiar” mas se não tiver uma verdade, eu não consigo curtir o som. A maioria das minhas musicas nasceram de textos que eu escrevo pra desabafar meus pensamentos, a partir dai eu fico pescando acordes e melodias ate achar algo que me agrade ou trabalho em parceria com alguém. Confesso que sou mais letrista rs


-Sobre a sonoridade das suas músicas, você não fica presa apenas no alternativo ou indie, dá pra sentir outras influências nos sons. Quais são as suas maiores influências?

Hayley willliaaaaaaaaaaaams! Hahah tudoooo! Eu me vejo muito nela.. a hayley sempre foi autentica e eu sempre admirei. A Billie tb. Eu me inspiro muito nas composições, na maneira de falar com a galera nas letras. Eu não tenho muito um estilo de música.. eu sempre brinco que sou Hayley e Billie e Pink Floyd haha o resto vai cativando. Eu curto música. Não tenho muito um parâmetro. Pode ser forró, rock ou mpb. Mas se fosse pra definir o que eu busco como influência pros meus próximos sons, são musicas com timbres mais modernos, sintetizador, pad, dobras vocais.. é o que me chama atenção de cara.


-Quais sãos seus próximos planos?

Trampar muito pra que temporal chegue até as pessoas, tocar mais e mais e mais e juntar grana pras próximas pq o que tá na gaveta é foda!


-Qual conselho você daria para outras garotas que gostariam de começar a fazer música também?

Façam! Pode ser difícil, a gente é desacreditada, mas faça! Se vc não fizer, ninguém vai fazer por você. E não se comparem com ninguém. A caminhada é única e só vc sabe das pedras e flores que tem. Aproveite cada minuto pq a arte é linda e é pra sempre. Um trabalho verdadeiro, feito com o coração, não tem como dar errado. Acredite em você! O segredo é permitir florescer <3


-Qual a marca que você gostaria de deixar na música? Qual legado gostaria de deixar?

Sou uma artista independente, sem grana nenhuma, que começou aos 19 (mt banda q a gnt curte com 19 os cara já era famosao haha), e tá ai seguindo acreditando na sua musica, fazendo das tripas coração e se dedicando muito pra cada vez ser melhor. Meu legado é esse. Eu faço o melhor que eu posso e falo sobre coisas que a gente passa ou vai passar. Quero que minha musica seja sentida pela galera e a vibração dela ecoe por toda eternidade.


-Estamos finalizando a entrevista. Quer mandar um recado pra galera?

Ouçam Temporaaaal! Rsrs o recado que eu quero deixar é pra vcs conhecerem meu trampo, o trampo de outras bandas independentes da nossa cidade, da sua cidade, apoiarem a galera, pq a gente depende muito de vcs! e quando falamos isso, não é pra se sentirem obrigados a ouvir até pq pode não ser seu estilo… mas um like, um comentário, um compartilhamento, votar num festival, pequenas coisinhas e rápidas ajudam MUITO quem ainda é pequeno e claro né, se vc curtir o som, bota pro mundo!!! E mais! Sigam e fortaleçam tb quem ajuda isso acontecer, olha o canal Bloody Mary ai!!! Bjaooo galera!


Sigam a ANANDA nas redes e plataformas digitais:

YouTube: https://bit.ly/3QHKh6P

Instagram: https://www.instagram.com/anandanoinsta/

Spotify: https://spoti.fi/3T34YvE

Site Oficial: https://oficialananda.wixsite.com/ananda

Facebook: https://bit.ly/3pA18ws

Palco MP3: https://bit.ly/3A7i822

Deezer: https://bit.ly/3AEgSoM


_canalbloodymary_edited.jpg